Sábado, 16 de Maio de 2009

novas aventuras

Estão todos às voltas na minha cabeça como vozes difusas a pedir espaço, a pedir prioridade. Cordas sopros coros teclas… sons por todo o lado, mil caminhos, escolher só um, limpar limpar limpar, chegar ao principio outra vez. Cortar partes, letras, excessos, coisas a mais. Deixar partes, letras, excessos, domar as coisas a mais.

O “conceito” e a “verdade” caminhando juntos, nunca se sobrepondo, nunca se anulando.

A leveza que se quer é tão fácil com tão pouco….mas há que redescobrir cada passo.

O que está feito passou. não quero repetir. Não é altura de repetir, ainda.

Sei das formulas e uso-as também, mas desdobradas, desordenadas, ambiciosas.

Não é necessário berrar para ser grande, não é preciso inventarmos personagens exuberantes para sermos diferentes

(Alguém sabe disto em Portugal? sim… é outro assunto…).

Preciso só de silêncio, honestidade e humor para começar.

Preciso de alguém solto para ver de fora.

Preciso que o meu corpo como filtro se comova com o caminho certo.

 

 

 

 

 

 

 


Gravar um álbum está a tornar-se nesta altura uma experiência um tanto ou quanto inquietante. Entre a genialidade e a mediocridade anda a inspiração. Entre a genialidade e a mediocridade há um espaço muito pequeno. Esta duvida constante faz obviamente parte do processo criativo e se o lado comercial não se puser ao barulho, é completamente indiferente no percurso. A ideia é mais ou menos essa. Ignorar a parte racional do que é, afinal, gravar mais um disco de originais.

Já todos fomos mais inocentes, mas também mais fracos. Nesta altura são claros os nervos que queremos estimular, em nós, e em quem nos ouve.

Aquilo que nos toca, que nos acorda.

Está a nascer um novo disco. Está na minha cabeça em peças separadas. A melhor parte de ir para estúdio, e isto fui aprendendo com a experiência, é a desconstrução das ideias concretas que depois de dois ou três meses de ensaios achamos inabaláveis. Em poucos minutos o rumo de tudo pode mudar.

Sei que o álbum não vai ser o retrato que tenho, porque se tudo correr bem, vai ser melhor.

A equipa de produção é a mesma.

Começamos a gravar dia 19.

publicado por Tiago Bettencourt às 20:18
link do post | comentar | favorito
|
22 comentários:
De cristina a 16 de Maio de 2009 às 23:08
Entre a genialidade e a mediocridade anda a inspiração e a inspiração há-de estar nessa tua consciência. O que acontece depois da perda da inocência? Algo muito mais fantástico – é como “amar de olhos abertos”. CLICK! Luz!!
De Bárbara a 17 de Maio de 2009 às 02:13
:)
De cristina a 22 de Maio de 2009 às 21:14
;-)
De Helena a 17 de Maio de 2009 às 13:20
Coragem Tiago!
De Celi do Assobio a 17 de Maio de 2009 às 20:33
Não sei bem se vais ter a toca como estúdio de gravação, mas espero que essa pedra vá na bagagem porque já há imensos sonos que não me sai da cabeça. Se precisares de um assobio é só dizer! Boa sorte não vale a pena para quem confia no talento.
De Gonçalo Rosário a 17 de Maio de 2009 às 23:39
Tenho a certeza que vai ser um cd espectacular. O Jardim é sem dúvida um grande álbum que nao me canso nunca de ouvir e este novo é para mim uma grande expectativa!!!!!

Tudo a correr bem!
De A. a 18 de Maio de 2009 às 02:54
shhhhhhhhhhhh





sim. raros... mas lá vamos sabendo







*
De Ron a 18 de Maio de 2009 às 11:28
Adorei o theme do blog ...
De eu só... a 18 de Maio de 2009 às 22:00
Amo a certeza de que me consigo voltar a apaixonar sem reservas e sem medos; sem as defesas que vos permitem distinguir o que é um amor de mais uma outra paixão...eu não as tenho, às reservas, o que me permite sentir sempre tudo como a primiera vez. Claro que tb sofro sempre como da primeira vez...e nunca me arrependo. És assim, "só" para mim.
Até ao próximo som(nho).

Ah! Troca aí o "inventar-mos" por um inventarmos que vais ver como inventar-mo-nos resulta MUITO melhor**
De Luísa a 20 de Maio de 2009 às 21:15
Rais ta foda. Já viste os teus comentários.Para isso mais vale estares calada.Deves ter a mania que o tiago é tua propriedade. Não me parece que pertença a nenhum de nós, muito menos a ti que nem o teu nome és capaz de meter.Vê se deixas de andar por aí como um gato com cio.
De Anónimo a 20 de Maio de 2009 às 13:56
Certamente que dessa confusão de sensações e sentimentos irá sair algo genial e inovador. Não tenho a mínima dúvida que vão surpreender os admiradores de sempre e conquistar mais alguns. O princípio da incerteza vai transformar-se em faixas concretas, repletas de metáforas geniais e não daquelas demasiados óbvias ao senso comum...

*
De Marta Matias a 20 de Maio de 2009 às 19:00
Com certeza, a genialidade e a inspiração, resultarão em simplicidade que irá conquistar alguns e alimentar a alma daqueles que já tanto vos gostam.
Quando há talente e quando se sabe o que se faz e o que se pretende fazer, tudo acaba em bem!

Bom trabalho*
De lisa a 21 de Maio de 2009 às 17:53
Estás em frente de um jardim abstracto, e cada uma das flores que nele se encontra nasceu de uma luz difusa que pede espaço em ti... Deixa-te escorrer pelo verso, sobre a estrofe, e o teu corpo comover-se-á com o caminho certo...

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 20 seguidores

.pesquisar

Photobucket


Photobucket
Photobucket

Photobucket

.posts recentes

. QUANDO ME PEDIRAM UM VIDE...

. O senhor do lado

. ...

. "TIAGO NA TOCA e os poeta...

. Sobre a apatia:

. silêncio

. Somos numero 1!!

. Mais explicações ainda...

. Explicações

. NOVO ALBUM já em Pré-vend...

.arquivos

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Janeiro 2011

. Julho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

.subscrever feeds